Cães, Saúde e Bem Estar

Alimentação Natural para Cães

Você sabe o que é Alimentação Natural para Cães?

Bom, os cães convivem conosco há milhares de anos e diversos estudos mostram que essa convivência se estabeleceu a aproximadamente 10.000 anos a.C. Ou seja, os cães estão conosco há pelo menos mais de 12.000 anos!

Os cães evoluíram dos lobos e os homens passaram a domesticá-los visando proteção e ajuda nas caçadas. Já os lobos, se beneficiaram dessa relação ganhando comida e abrigo. O que é conhecido na Biologia como uma relação de mutualismo: as duas espécies se beneficiaram dessa relação desde então.

Mas o que os lobos comem?
R: Principalmente carne crua e ossos crus de suas presas.

O que os cães de 12.000 anos atrás comiam?
R: Carnes cruas e ossos crus das caçadas com os homens.

Foto: Spratt’s Patent

Mas até quando carne e ossos crus foram o principal elemento da alimentação dos cães?
R:
A resposta surpreende muitas pessoas e me surpreendeu muito anos atrás, quando comecei a estudar o tema de Alimentação Natural para Cães. A grande mudança na alimentação deles se deu por conta do Sr. James Spratt. Você já ouviu falar nesse nome?

Bom, ele é o pai das rações de cães. A História das rações começa aproximadamente em 1860 com o Sr. Spratt. Ele fazia muitas viagens de navio entre os Estados Unidos e a Inglaterra. Em umas dessas viagens, em um porto inglês, ele viu marinheiros jogarem biscoitos secos para alguns cães, que os comiam. Esses biscoitos eram biscoitos “especiais”: como os marinheiros passavam meses nos mares e conservar alimentos por muito tempo era bastante complicado naquela época, essas bolachas eram enriquecidas com vitaminas. E, por serem secos, tinham um prazo de validade longo. Ao observar tudo isso, James Spratt pensou: “vou fazer um biscoito para cães!”. E assim ele criou a primeira ração patenteada. Logo surgiram outras indústrias e o negócio de rações aumentou muito.

Ou seja, entre 10.000 a.C. e 1860 os cães comiam principalmente carnes e ossos crus. E eu diria que os cães brasileiros passaram mais tempo ainda que os americanos comendo esse cardápio semelhante ao do lobo: as rações chegaram por aqui apenas na década de 1980. E os cães continuam sendo lobos. Cento e cinquenta anos comendo ração não mudou os processos digestivos deles, é pouquíssimo tempo para mudar a fisiologia dos cães.

Ligres Foto: Wikipédia

Nesse ponto vocês devem se questionar: Mas os cães continuam sendo lobos?
R: Sim, sim. Para a Biologia, o que define uma espécie é a capacidade de indivíduos distintos cruzarem entre si, gerando descendentes férteis. Além disso, os descendentes de ambos sexos devem ser férteis.

Por exemplo, leões e tigres cruzam entre si e geram descendentes (os ligres), mas os ligres machos são estéreis. Portanto, leões e tigres não são a mesma espécie. Com cães e lobos a coisa muda: eles cruzam entre si e geram descendentes férteis de ambos os sexos. Além disso, eles compartilham mais de 99% do DNA. O nome científico do lobo é Canis lupus e, do cão, Canis lupus familiaris.

Um fato que gera preocupação é com relação à presença de bactérias viáveis em carnes cruas. Sim, elas estão lá. Mas isso não é motivo de preocupação. Os cães têm o estômago extremamente ácido, o pH chega a 1,0! E as bactérias que causam doenças são muito sensíveis à acidez. Tanto é que uma forma que a indústria de produção de alimentos usa para matar bactérias é acidificar alimentos.

A digestão dos cães também se concentra muito no estômago: o alimento passa 8 horas ali antes de seguir para o intestino. Assim, as bactérias ficam submetidas a um ambiente muito ácido por 8 horas. As bactérias morrem. Ressalvas com relação a isso devem ser feitas nos casos de animais doentes que nunca receberam Alimentação Natural, pois eles podem desenvolver algum problema. Mas, para animais saudáveis, é bastante seguro oferecer alimentos crus.

Vale lembrar que uma dieta adequada deve ser balanceada por um profissional da área (veterinário especializado em alimentação natural). Os animais, assim como nós, são indivíduos diferenciados e precisam de dietas diferenciadas. Por exemplo, se eu fosse em um nutricionista, a dieta que ele(a) me passaria, seria diferente da dieta que você receberia, pois temos provavelmente necessidades de nutrientes diferentes, níveis de atividade diferente, etc. O mesmo acontece com os cães: não existe uma dieta única que sirva para todos os cães, cada caso é um caso.

Até o próximo post.

2 comentários em “Alimentação Natural para Cães”

Deixe uma resposta